Chromebook de 15 polegadas

A Acer fez uma aposta grande em Chromebooks com o Chromebook 15

A Acer usou o show da IFA em Berlim, na Alemanha, para anunciar a última versão do Chromebook 15, o único Chromebook do mundo com uma tela grande de 15,6 polegadas e um custo-beneficio bom como o Notebook Acer aspire f5-573g-75a3. Esta nova versão vem com um design de alumínio atualizado e uma vida útil mais longa da bateria, nas 12 horas reivindicadas

Aplicativos do Android no Chrome: como dar ao seu Chromebook um aplicativo de vantagem.

A tela Full HD pode ser exibida em versões touchscreen e não touchscreen, o que significa que você pode interagir completamente com a vasta seleção de aplicativos disponíveis no Google Play Store.

Você provavelmente vai querer instalar aplicativos de recuperação de vídeo e on-demand para que você possa desfrutar de filmes e programas de TV em movimento na tela grande e, para complementá-lo, o Acer Chromebook 15 possui dois alto-falantes de alta com alta definição suporte de áudio.

Chromebook de 15 polegadas designer

Você também obtém um teclado em tamanho real e um trackpad de tamanho generoso para auxiliar na produtividade e uma webcam HD embutida com um campo de visão de 88 graus permite que você chame seus amigos e familiares.

Sob o capô, você encontrará um processador Intel Celeron dual-core ou um processador Intel Pentium quad-core, dependendo da sua configuração, e estes estão disponíveis com 32 / 64GB de armazenamento interno e 4 / 8GB de RAM. As opções de conectividade incluem duas portas USB-C, duas portas USB 3.0, uma porta HDMI, leitor de cartão SD, porta de fone de 3,5 mm e Bluetooth 4.2.

O novo design de alumínio não só dá ao Chromebook 15 mais um aspecto superior ao anterior, mas também o torna mais leve em 1,72 kg, o que significa que é fácil de transportar com você.

Acer Chromebook 11 review: O melhor orçamento do Chromebook ainda?

Boas notícias, todos os Chromebooks 2017 suportarão aplicativos Android

O Acer Chromebook 15 estará disponível na Europa a partir de outubro por € 499 ou os EUA por US $ 399. O preço, a disponibilidade e as configurações exatas variam de acordo com a região e serão confirmadas mais perto da data de lançamento.

Exemplo de um Chromebook de 15 polegadas:

Quatro anos depois, o Yahoo ainda não sabe como 3 bilhões de contas foram pirateadas

Quatro anos depois, o Yahoo ainda não sabe como 3 bilhões de contas foram pirateadas

Na quarta-feira, em uma audiência de segurança que chamou executivos do passado e presente da Equifax e do Yahoo para Washington, D.C., estamos aprendendo um pouco mais sobre o que o Yahoo não sabia sobre o maior hack da história.

Quando pressionado sobre como o Yahoo não reconheceu que 3 bilhões de contas – e não 500 milhões como primeiro relatado – estavam comprometidas no que mais tarde foi revelado como um ataque patrocinado pelo estado da Rússia, a ex-CEO do Yahoo, Marissa Mayer, admitiu que as especificidades do ataque ainda permanecem desconhecidas.

Larissa Mayer Ex CEO do Yahoo

“Até hoje, não conseguimos identificar a intrusão que levou a esse roubo”, disse Mayer ao Comitê de Comércio do Senado. “Nós não entendemos exatamente como o ato foi perpetrado. Isso certamente levou a algumas das áreas onde tivemos lacunas de informação “.

Notavelmente, enquanto Mayer não está mais com a empresa, a Diretora de Privacidade da Verizon, Karen Zacharia, também presente no painel, não concordou em discordar dessa avaliação.

O Yahoo não percebeu que tinha sido comprometido em 2013 e 2014 até que a evidência externa do hack foi apresentada à empresa por meio de aplicação da lei em 2016. O Yahoo começou a trabalhar com o Departamento de Justiça e o FBI, e as agências concluíram que em 2014, a empresa foi vítima de um massivo ataque patrocinado pelo Estado russo para o qual não estava preparado de forma alguma. “O Yahoo trabalhou em estreita colaboração com a aplicação da lei, incluindo o Federal Bureau of Investigation, que finalmente foram capazes de identificar e expor os hackers responsáveis ​​pelos ataques”, afirmou Mayer em seu depoimento. “Agora sabemos que os oficiais de inteligência russos e os hackers patrocinados pelo estado foram responsáveis ​​por ataques altamente complexos e sofisticados aos sistemas do Yahoo”.

De acordo com a Zacharia, a Verizon obteve novos detalhes sobre o hack depois de ter adquirido o Yahoo em junho de 2017. A nova empresa-mãe atuou em uma semana para divulgar o escopo amplamente ampliado do ataque, que triplicou para 3 bilhões de usuários afetados.

“Obtivemos novas informações de um terceiro e revisamos isso com a assistência dos mesmos especialistas forenses externos que o Yahoo usou anteriormente”, explicou Zacharia em suas declarações de abertura. “Com base nessa revisão, concluímos que todas as contas – e não apenas um subconjunto – foram impactadas pelo incidente de segurança de 2013”.

Total de vendas na internet em 2021 vai ser de 85 bilhões

O Google juntamente com a empresa Forrester Research se uniram para realizar uma pesquisa sobre todas as vendas feitas aqui no brasil na internet. A informação que mais se destacou nesse estudo é de que as vão praticamente dobrar até o ano de 2021.

Para você ter uma ideia o valor vai chegar na casa dos 85 bilhões de reais, com um aumento de mais de 12% nas vendas. Isso significa que a participação do comercio eletrônico passaria de 5,4%  para 9,5%.

Grafico de vendas na internet até 2021

Devido a comparação rápida que o e-commerce proporciona, diante da crise essa característica fez as vendas se manterem melhor que o do comercio físico. A possibilidade oferecida para o usuário comparar seus produtos muito rápido, fez a maiorias dos consumidores comprarem das lojas virtuais, segundo a gerente de varejo do Google.

A maior parte desse crescimento constante vem principalmente de novos consumidores, com a perspectiva que cerca de 27 milhões de novos clientes vão fazer a sua primeira compra nos próximos cinco anos. Totalizando então mais de 67 milhões de clientes na internet como um todo, representando uma fatia de 44% de todos as pessoas conectadas a internet até 2021 no Brasil.

Uma outra estatística bem interessante feita pela Ferrester, foi a utilização dos dispositivos móveis para efetuar as compras. Revelando que até o final do ano de 2016, eram efetuadas cerca de 19% das vendas pelos smartphones nas lojas virtuais. A estimativa é que em 2021, essa participação passará para incríveis 41% de todas as compras serão por celulares.

Atualmente cerca de 30% das pessoas que usam internet são alcançadas apenas com dispositivos mobile, não fazendo acesso com outros aparelhos.

Para realização dessa pesquisa a Google abordou cerca de 4500 usuários, com idades entre 16 até 75 anos, que fazem o uso da internet.

Respostas foram dadas com relação a três categorias de produtos, selecionadas aleatoriamente, fazendo relação com base dados de informações de compras feitas nos últimos três meses.

Pesquisas sobre Facebook e Google

Cerca de 20% de publicidade do mundo vão para Google e Facebook

Uma nova pesquisa realizada pela empresa especializada Zenith Optimedia, divulgou um estudo que analisou todos os investimentos realizados com publicidade no mundo, sendo que os números indicam que quem estão dominando é o Facebook e o Google. Para você ter uma ideia, isso é cerca de 20% de todos os gastos do mundo em publicidade, se unirmos as duas empresas no ano de 2016. Na época de “vacas magras” se é que se pode dizer isso, em 2012 o índice girava em torno de 10%, ou seja, depois de cinco anos o investimento praticamente dobrou apenas nessas duas empresas.

Com o título chamado de Top Thirty Glogal Media, a pesquisas levantou o resultado de trinta empresas de todo mundo. Vamos começar com a Comcas que está em terceiro lugar, ela é uma empresa norte americana, que presta serviços de telefone, internet e tv por assinatura, com um faturamento de US$ 12 bilhões. Em segundo lugar temos a rede social de Mark o Facebook, que atraiu empresas a investirem mais de US$ 26 bilhões. Em primeiro lugar veio o Google, ou melhor falando a Alphabet, com seus vários serviços como: Gmail, Youtube, Google Drive, buscado Google, Google Adsense, Play Store e muitos outros, com verba total atraída de incríveis US$ 97,4 bilhões.

A pesquisa não apresentou apenas ranking das que mais lucraram, mas também as que mais cresceram nesse período. Nesses casos vem em terceiro lugar o Facebook que cresceu 528%, o Tencent em segundo lugar com cerca de 697% e o Twitter em primeiro lugar com absurdos 734% de crescimento.

Vamos deixar aqui a lista completa com todos as trinta mídias que mais ganharam em 2016.

 

1 – Alphabet.

2 – Facebook.

3 – Comcast.

4 – Baidu.

5 – The Walt Disney Company.

6 – 21st Century Fox.

7 – CBS Corporation.

8 – iHeartMedia Inc..

9 – Microsoft.

10 – Bertelsmann.

11 – Viacom.

12 – Time Warner.

13 – Yahoo.

14 – Tencent.

15 – Hearst.

16 – Advance Publications.

17 – JCDecaux.

18 – News Corporation.

19 – Grupo Globo.

20 – CCTV.

21 – Verizon.

22 – Mediaset.

23 – Discovery Communications.

24 – TEGNA.

25 – ITV.

26 – ProSiebenSat.1 Group.

27 – Sinclair Broadcast Group.

28 – Axel Springer.

29 – Scripps Networks Interactive.

30 – Twitter.